Chris Santos | 2013

Chris Santos | 2013


 

Chris Santos concluiu em 2013 a sua formação de 4 anos em Teatro Musical na EDSAE, classificando-se com Distinção no nível 6 do Exame Trinity. Mais recentemente, terminou com êxito a formação de actores da Academia Inatel, sob a direção de Claudio Hochman, Bruno Cochat e Carlos Garcia. Profissionalmente, efetuou a digressão nacional do musical "Um Conto de Natal", sob a direção de Francisco Santos; fez parte integrante do musical "Alma", dirigido por Jorge Pereira; participou nos musicais "Procura-se – Um Musical", “Orgulho e Preconceito”, ambos na Malaposta, e “Broad… what? Broadway!”, no Espaço Confluência, sob a direção de Pessoa Júnior; representou o personagem Barrabás na “Ópera do Malandro”, no Teatro Ibérico, dirigido por Pessoa Júnior e Sofia de Castro; fez parte do elenco do musical "O Rei Artur" sob direção de Claudio Hochman; deu voz e corpo ao Avô Guilherme do musical "Gui e o Campeonato de Natal", sob a direção de Sara Lima; integrou o elenco de "Branca de Neve no Gelo" dirigido por João A. Guimarães e Joana Quelhas; fez digressão na Arábia Saudita e Emirados Árabes Unidos com o espectáculo  infantil “SpongeBob Squarepants – I love dancing”; e participou igualmente em vários concertos e espectáculos, sob direção de vários nomes do panorama musical português, como os irmãos Feist, Rui Baeta e Yolanda Soares. Neste momento, encontra-se no Porto, a integrar o elenco do musical “A Bela e o Monstro no Gelo”.

Comentário

Em boa verdade, tudo começou na EDSAE...

Inicialmente era apenas uma experiência nova, uma simples brincadeira… uma brincadeira que se transformou numa paixão, que depois se viria a tornar um hobby e que agora é aquilo que mais quero fazer na vida! E teve início aqui, há 6 anos atrás.

Foram 4 anos de aulas, de aprendizagens, de sangue, suor e lágrimas que me deram todas as bases e ferramentas que possuo… e por isso, como não poderia deixar de ser, devo um profundo agradecimento aos fantásticos professores desta escola (e excelentes profissionais que são) que me transmitiram os seus conhecimentos e com quem tive a sorte de trabalhar. Estão sempre lá de cada vez que piso um palco.

Por tudo isto: Obrigado, EDSAE!